13 de outubro de 2011

V Campeonato Nacional da Classe

O V Campeonato Nacional da Classe Vouga decorreu com normalidade, apesar de uns dias antes termos sido sobressaltados com uma carta de teor intimidatório oriunda de uma associação denominada ANCV, que pretensamente também representa a classe Vouga.
Para esclarecimento dos leitores e interessados, diremos que em termos da Classe de Vela "Vouga" apenas a APCV é legítima representante da classe, reconhecida e apoiada pela Federação Potuguesa de Vela, regulamentando e certificando as embarcações Vouga, organizando provas desportivas oficiais inseridas no calendário federativo, e todos estes procedimentos respeitam e seguem as regulamentações que emanam da entidade que tutela a prática do desporto da vela em Portugal: a Federação Portuguesa de Vela.
Tudo o resto é conversa que se apoia num facto ilegítimo ( o registo abusivo de uma pretensa marca Vouga e de um logótipo criado na fundação da classe nos anos de 1939/44 ), independentemente do livre associativismo que felizmente se pratica em Portugal. Mas recordemos o facto de que para representar os empresários , em Portugal existem cerca de 750 associações empresariais...
Houvera mais espírito democrático e capacidade de reconhecimento de algumas falhas de percurso, condições que só a alguns assiste, e concerteza os barcos Vouga estariam reunidos nas regatas da classe e em outros eventos desportivos que se realizam na região, sob as orientações de uma associação. Os barcos mereciam que os seus proprietários tivessem mais elevação e tolerancia e não confundissem e misturassem sensibilidades pessoais com interesses institucionais.

Mas, o que realmente interessa é velejar e cuidar dos barcos e das tripulações, dentro de regras por todos aceites e devidamente ponderadas, e portanto foi o V Campeonato da Classe Vouga um enorme sucesso. Sábado dia 8 o vento exagerou na sua força e algum material sofreu, culminando com um mastro partido. Domingo as condições foram as ideais para os vougas e as regatas decorreram com grande estilo e equilibrio, e  mesmo os clássicos terminaram todas as regatas bem próximos dos "racing Vouga"
Temos que referir os patrocinadores, Oliveira e Irmão-SA, Teka, Decathlon, APA,  que permitiram os meios para que o convívio se prolongassem para além das provas, com um lanche no Sábado e um Jantar no Domingo e entrega de prémios e nomeação dos campeões nacionais. Ao Clube de vela da costa Nova os nossos sinceros agradecimentos e aos juízes e comissários e apoiantes na água o nosso muito obrigado. Uma palavra de apreço `direcção da FPV.

Ainda muito há a fazer em prol da classe Vouga e chegamos ao momento de refletirmos sobre as regras e regulamentos estabelecidos entre 2005 e 2007. Desafiamos todos os associados a formularem propostas para a necessária revisão dos elementos regulamentares.


Algumas imagens das regatas e dos convívios em terra:















4 de fevereiro de 2011

Calendário de provas para 2011

Caros Associados e Amigos

Para o ano de 2011 a APCV-Associação Portuguesa da Classe Vouga, desenvolveu um calendário de provas oficiais a terem lugar exclusivamente na Ria de Aveiro. Vamostambém participar de modo activo em outros ventos náuticos, em parceria e co-orgnização com clubes e classes de vela, nomeadamente a classe Sharpie 12 m2. 
Destacamos as Provas de Apuramento para o Campeonato Nacional e o próprio Campeonato Nacional da Classe, provas que constam do calendário da Federação Portuguesa de Vela, cujas datas foram acordadas naquela Federação em reunião do Conselho Nacional de Classes, apesar do clima de instabilidade e indefenição que se vive no mundo da vela, nomeadamente entre a FPV e a tutela - SED *

( Porque existem dúvidas quanto à adequação dos estatutos da FPV com a Lei vigente...)

Do calendário, destacamos também as provas no Norte da Ria de Aveiro, na Torreira (ANT) e em Ovar, onde o encontro pelo segundo ano consecutivo com a Classe Sharpie 12 m2, entre outras, se revela estimulante e com potencial agregador, espírito este que muito falta na vela em geral e na Ria em particular.
A reagata co-organizada com a CENARIO-centro náutico da ria de ovar, revela-se também inovadora, pois procura diversificar e aprofundar o relacionamento dos Vougas com outros territórios emergentes, pois esta regata CENARIO que já vai na sua 5ª edição, destina-se exclusivamente a barcos construidos em madeira, procurando explorar a vertente "Clássica" na Ria de Aveiro.

Apelamos pois aos Vouguistas de espírio livre, aberto e tolerante que participem e que elevem alto a classe Vouga e a APCV, a única associação de classe a regulamentar e certificar embarcações e a organizar eventos desportivos oficiais da classe Vouga.


CALENDÁRIO

Junho
10 a 12    1ª PAN / TCR                    Torreira                ANT
25 e 26      TCR                                Costa Nova          CVCN

Julho
                Costa Nova/Aveiro/Costa                               SCA

Agosto
12 e 13     Semana Internacional         Costa Nova          CVCN
14             4 Horas                             Costa Nova          CVCN
27 e 28     Cruzeiro da Ria                  Ovar/Aveiro          NADO

Setembro
3 e 4        Clássicos da Vela                Puxadouro          CENARIO
10 e 11    2ª PAN                               Torreira               ANT
17           Dou mais tempo à vida          Costa Nova        CVCN

Outubro
8 e 9      Campeonato Nacional           Costa Nova         CVCN

.

8 de novembro de 2010

Um Vouga nasce na Serra

Anunciamos com satisfação a construção de uma nova embarcação da Classe Vouga, tipo Costa Nova, cujo projecto de casco como sabemos é inspirado na embarcação "Bill", idealizada e construída no início dos anos 50 por A. Gordinho.
Este vouga que será baptizado de "Laura" está a ser construido em freixo (estrutura) e câmbala (casco e painel de pôpa).
Estiveram presentes todos o elementos da comissão técnica e dois elementos da direcção da APCV nesta jornada pelo Portugal profundo , Ferreira de Aves, um sítio muito bonito perto de Sátão.
No final fomos agraciados com um almoço pelo "mestre da embarcação" que está a fazer um excelente trabalho. Do almoço, teremos que realçar o doce de abóbora, a marmelada e a tábua de queijos.

Uma vida náutica longa e sempre em busca da perfeição, é o que desejamos a este novo Vouga.

Para mais fotos ver aqui











                             

10 de outubro de 2010

O REGRESSO DOS VOUGAS AO TEJO 4º Campeonato Nacional da Classe Vouga



Em rigor, não sei se poderemos considerar as águas de Oeiras e Paço de Arcos "águas do Tejo", mas para nós, que regateámos entre o forte do Bugio e a Praia de Sto Amaro de Oeiras, aquelas águas verdes e azuladas pareceram-nos muito apropriadas ás Tágides e mesmo propícias à renovação de velhos mitos. São portanto águas do Tejo...

Sendo as actuais actividades desta classe de Vela muito centradas na Costa Nova em particular, e na ria de Aveiro, em geral, o processo de modernização e de consolidação da classe Vouga no seio da APCV necessitava e necessita de acções continuadas de divulgação e promoção para além do contexto geográfico da Ria de Aveiro.
Pelo que, logo que surgiu a proposta da ANL- Associação Naval de Lisboa, em sede de reunião de classes de vela na FPV, de se poderem realizar as regatas do 4º campeonato em Lisboa, de imediato a direcção e todos os corpos sociais da APCV encararam a possibilidade desta iniciativa, já pensada anteriormente mas como evento futuro...
Constatamos também que, sendo a ANL e o Sport Algés e Dafundo vizinhos e parceiros em diversos eventos, seria também desejável que esta ultima instituição se viesse a constituir como parceiro nesta organização, o que felizmente veio a acontecer. Lembremos que o Sport Algés e Dafundo está na génese da primeira geração de Vougas organizados em classe nacional.











No entanto o local onde se situam estas instituições e as exíguas capacidades de atracação e de manobra, quer em terra quer na água, para uma frota de cerca de dez Vougas , mais viaturas e reboques, quase nos fizeram desistir da proeza de transportar os Vougas para Lisboa.
A solução encontrada surgiu de anteriores parcerias daquelas instituições com o Porto de Recreio de Oeiras na organização de eventos nàuticos, pelo que, contactado o responsável pela gestão daquela infraestrutura e após uma visita às instalações, logo ficou decidido que o local das regatas seria em Oeiras, pois verificámos a excelência das condições encontradas e uma grande receptividade por parte da administração.
Resolvidos os detalhes e identificados os actores na operacionalidade das instalações partiram para Oeiras sete vougas, (aos quais se juntaram mais dois posteriormente) numa jornada que será sempre recordada com satisfação e alegria, apesar do esforço de todos.
Pelo que me toca, tenho a dizer que velejar ao longo das praias de Oeiras e Cascais, com a Ponte sobre o Tejo recortando a paisagem, e a Torre de Belém adivinhando-se entre o recorte das margens foi experiência inesquecível.
Tenho também na memória o Bugio, referência apontando o caminho do Brasil, sentinela das actividades marítimas, bastião da foz, e as pequenas fortificações de defesa da costa estruturadas por esse "navio almirante" que é o forte de S. Julião da Barra.
Não poderei também deixar de referir o avistamento dos quatro mastros do "Creoula" em plena regata, assim como as saudações de diversas embarcações que progrediam velejando ao longo da costa, das quais destaco o "Nirvana" que alterou o rumo, virando de bordo, para melhor nos observar e saudar, gesto que retribuimos da melhor forma possível...

Os Vougas finalmente regressaram ao Tejo.








6 de outubro de 2010

AS REGATAS DE OEIRAS

Realizaram-se em Oeiras as regatas mais importantes da época de 2010 para a classe Vouga representada pela APCV- Associação Portuguesa da Classe Vouga: A 2º PAN e o Campeonato Nacional da Classe.

Para que estas provas se realizassem foi necessário um grande esforço por parte dos velejadores, e dos organizadores, onde pontua a APCV, a FPV, o Porto de Oeiras, a ANL e o Sport Algés  e Dafundo.

As provas efectuaram-se durante dois fins de semana mas as condições de vento não permitiram que se realizassem os quatro dias de regata. No entanto no final, todos sentimos que a experiência resultou numa boa promoção da classe e no consolidar de relacionamentos e de amizades.

Devemos realçar a disponibilidade do Sport Algés e Dafundo na pessoa de Jaume Mimo mas também a simpatia e colaboração de todo o pessoal administrativo e de apoio no cais do porto de Recreio de Oeiras.

Os novos campeões nacionais são Renato Alvim, Filipe Neto e António Martins Pereira.

( posteriormente colocaremos todas as classificações)

Seguem-se algumas fotos das regatas, reportagem ainda incompleta dado o facto de que temos uma boa colecção de fotos para exibir posteriormente.





"On the road"



  No cais do porto de Oeiras, aparelhar e afinar. 



                                             Reunião de "skipers"



 Os cabos e os nós que se aprontam em segurança


 Leve, levemente, como quem chama por mim...



 O vento sopra



                                               
  sobre a água pura e cristalina,




                                inicia-se  a corrida, rumo ao Tejo










                                                               .../...




                                                


 Os troféus executados por Jaume Mimo do SAD
.